Os 10 destinos mais éticos de 2016

Cabo Verde
O turismo tornou-se um dos setores mais importantes do mundo, gerando um trilhão de dólares anualmente. Além da nossa experiência pessoal, o destino que escolhemos para viajar é afetado econômica e politicamente. Portanto, é importante escolher o lugar para onde vamos viajar bem, principalmente se queremos ajudar a mudar o mundo para melhor. A organização Viagem ética, encarregado de promover o turismo ético e responsável, produz uma lista de destinos éticos a cada ano após analisar a conservação do meio ambiente, os direitos humanos, o bem-estar social e a proteção dos animais de diferentes cantos do planeta.

Na verdade, os locais selecionados são os que fazem o trabalho mais impressionante sobre esses assuntos. O que a organização pretende é promover viagens a essas nações para influenciá-los financeiramente e, assim, recompensar boas obras e apoiar as melhores práticas. Obviamente, esses são destinos com muito a oferecer. Além disso, é importante observar que esta organização pertencente à ONG Earth Island Institute não aceita dinheiro ou doações de nações, governos, agências de viagens ou indivíduos na criação da lista, o que implica maior liberdade. Deseja descobrir os 10 destinos mais éticos de 2016? Bem, junte-se a nós!

Cabo Verde

Cabo Verde1
O primeiro destino que a Ethical Travel nos recomenda é Cabo Verde, uma pequena nação insular localizada na costa noroeste do continente africano. Este território não está apenas na vanguarda da proteção marinha, mas em energia renovável; na luta contra a caça e a poluição das praias; e na igualdade de gênero.


Dominica

Dominica
Também temos que falar sobre Dominica, uma ilha e república da América que, entre outras coisas, tem um bom sistema de saúde público. É importante notar que atingiu 94% de alfabetização, entre muitas outras conquistas.

Granada

Granada
Outra proposta da organização é o pequeno país insular de Granada, que se esforça para recuperar o recifes coral, além da luta contra as mudanças climáticas.

Micronésia (Estados Federados)

Micronésia
A Ethical Travel também nos propõe viajar para os Estados Federados da Micronésia, que visa atingir 20% de energia proveniente de fontes renováveis ​​até 2020. Também protege muito seus espaços naturais.


Mongólia

Mongólia
Na quinta posição da lista, encontramos a Mongólia, um país que aposta em energias renováveis ​​e a proteção do território. Além disso, é importante notar que ela tem uma taxa de emprego realmente baixa e que fez muitos progressos em questões sociais.

Panamá

Panamá
Da Ásia, nos mudamos para a América do Sul, onde está o sexto destino da lista: Panamá. Este país não apenas dobrou os esforços em reflorestamentoTambém fez muito progresso em questões sociais, trabalho e bem-estar animal.

Samoa

Samoa
Também temos que falar com você sobre Samoa, que é a sétima na lista, graças, entre outras coisas, ao fato de que esta nação insular do Pacífico planeja gerar 100 de sua eletricidade a partir de fontes. renovável.


Tonga

Tonga
Na oitava posição, encontramos Tonga, um território muito consciente dos direitos LGTB. Além disso, 99% de seus habitantes sabem ler e escrever.

Tuvalu

Tuvalu
Outro lugar que eles nos recomendam é Tuvalu, que dedica muito esforço à luta contra a mudança. climático e contra a violência doméstica.

Uruguai

Uruguai
Finalmente, temos que falar sobre o Uruguai, um país muito avançado em energia verde. Além disso, eles estão lutando ativamente contra o fracasso escolar e a favor dos direitos dos animais.

Filosofia - Ética e Cidadania (Outubro 2021)


  • Dominica, Granada, Micronésia, Mongólia, Samoa, Tonga, Tuvalu
  • 1,230